sexta-feira, 24 de março de 2017

Revista(s) de Vinhos - Take II


O grupo editorial Masemba e a EV-Essência do Vinho estabeleceram esta quinta-feira, 23 de março de 2017, uma parceria para a gestão integral da Revista de Vinhos. Como consequência a WINE, título lançado em 2006 pela EV, deixa de ser publicada. Tudo isso mensalmente presente nas bancas de Portugal, Brasil, Angola e Moçambique já a partir de Abril.

A anterior equipa da Revista de Vinhos vai regressar em Maio com o novo título: Vinho - Grandes Escolhas

Meus senhores e minhas senhoras leiam se fazem o favor a minha última crónica, agora deve fazer mais sentido, publicada no dia 21 Março: Revista(s) de Vinhos.

Chegaram a alguma conclusão?

Ricardo Soares

terça-feira, 21 de março de 2017

Revista(s) de Vinhos




Para o mundo dos vinhos a(s) mudança(s) que se avizinha na(s) Revista(s) de Vinhos é sem dúvida um marco histórico.
O que surge agora? A continuação da Revista de Vinhos com outra equipa? A sua última edição? E a criação de uma nova revista de vinhos pela equipa demissionária? Em que moldes se manterão uma e outra? Tantas questões que poderia aqui expor que não teriam fim, mais depressa acaba uma aula de filosofia. Não me compete a mim aprofundar estas e outras indagações mas como consumidor surgem-me "desarrolhares" mais ou menos pertinentes. Aqui vão alguns (que me assustam mais):

- A criação de um novo negócio como neste caso uma revista impressa deve ser iniciada por meio da busca de informações para garantir o subsídio em relação ao empreendimento a ser desenvolvido?

- Uma revista gera informação, publicidade e marketing empresarial.

- Mesmo com o fortalecimento da internet a comunicação impressa ainda é vista por muitos como sendo um veículo de comunicação para conseguir a formação de um vínculo mais forte entre organizações empresariais e seus respectivos públicos.

- No mercado português actual existe diversidade suficiente de revistas de vinhos impressas? Haverá fusões?

- Como conhecer a actividade comercial e os interesses dos leitores para circular a sua revista impressa?

- Há a necessidade do empresário vínico expor os seus serviços e produtos num espaço da revista e publicidade.

- Qual o financiamento para a tiragem da revista?

Já me dói a cabeça e fico por aqui porque a minha mulher já me chama para jantar há mais de meia hora...

Ricardo Soares

domingo, 19 de março de 2017

Paulo Laureano Branco 2015


Após desarrolhar este Paulo Laureano Branco 2015 posso apenas afirmar que não passou do primeiro gole e serviu na perfeição para tempero, nomeadamente uma excelente vitela assada no forno, carne essa comprada em Vieira do Minho.
Espectacular. A vitela assada no forno feita por mim. A minha esposa aprova e comprova. Tudo o que fiz. Lamento não conseguir dar uma informação mais detalhada...

Ricardo Soares

sábado, 18 de março de 2017

Garage Wines / Casa da Passarella / Quinta do Cardo

Hoje foi dia de compras, depois da prova de vinhos da Casa da Passarella promovida ontem pela Garage Wines, e na qual impiedosamente faltei. Foi precisamente neste projecto que hoje apostei e num outro "intruso".


Paulo Nunes com um projecto da região do Dão que a cada dia que passa conquista novos caminhos, desafios e capaz de surpreender os consumidores. As minhas escolhas recaíram nos seguintes:
1 x Casa da Passarella - O Fugitivo Tinto Vinhas Centenárias 2013
1 x Casa da Passarella O Enólogo Branco Encruzado 2015
1 x Casa da Passarella O Fugitivo Garrafeira branco 2013
2 x Casa da Passarella O Fugitivo Branco em Curtimenta 2015



Destaque também para Quinta do Cardo da região da Beira Interior, pela mão de Luís Leocádio, com o vinho branco Quinta do Cardo  Síria de 2015.


Todos os vinhos comprados na Garage Wines em  Matosinhos, criteriosamente seleccionados pela Ivone Ribeiro que "teimosamente" desafia quem lá passa, enófilos incluídos.



Ricardo Soares

quinta-feira, 16 de março de 2017

Numa papelaria perto de si 🍷🍷

Não quero de forma alguma extrapolar casos e situações que estão fora do meu raio de acção e do conhecimento. Mas confesso que fico siderado com algumas "montras" com que nos vamos deparando ao longo da vida.
Para meu espanto vejo hoje numa papelaria vinhos que não estão ao alcance de todos os bolsos e que não estão disponíveis nas grandes superfícies nem em algumas das melhores garrafeiras. Como não encontrei dentro de mim uma explicação para o facto de uma papelaria vender vinhos entrei para me elucidarem. Ainda me questionei se não seria devido à aproximação do Dia do Pai mas perguntar não ofende... Afinal de contas a papelaria tem uma "parceria" com "uma pessoa" para a exposição e venda dos vinhos no respectivo estabelecimento.
Fiquei esclarecido!









Ricardo Soares

terça-feira, 14 de março de 2017

Caves Velhas Bucellas arinto 2000 e de 2008


Como estou a fazer horas à espera da patroa, entro numa grande superfície e eis que me deparo com isto...
Acho que vou comprar...

segunda-feira, 13 de março de 2017

Casa de Santar tinto reserva 2005


É daqueles clássicos que nos obrigam a...nem sei para que me canso. É que nem me apetece dizer o que quer que seja. Estou cansado, exausto, desmotivado... hoje não estou disposto a expor apreciações, avaliações ou pontuações (aliás, nunca dei pontuações aos vinhos). Se querem saber ao que cheira, ao que sabe e a cor dele comprem. Eu digo-vos onde comprei... Para que vos interessa o terroir? Sabem o que isso é ao menos? Que vos interessa a minha prova? A cor granada médio com indícios da idade, para que vos interessa? O facto de ser inicialmente fechado no nariz e algo concentrado na boca e ter evoluído ao longo da refeição, interessa-vos para alguma coisa? A fruta vermelha, as especiarias, as notas a barrica, a frescura, os taninos firmes e finos, o final concentrado e médio, digam-me, interessa-vos para quê? Por acaso lêem até ao fim o que vos escrevo neste blog ou só vêem as imagens? Se vos emprego termos técnicos dizem "oh lá está o gajo armado em expert"; se utilizo vocabulário simples "coitado não percebe nada disto,mais valia analisar o bouquet dum rissol"...
Tenho quase a certeza que só olham para as imagens. Tal a abundância de comentários...
Imaginem aqueles gajos que vão comprar o jornal aos domingos? Agora imaginem estes mesmos gajos a folhear o jornal e ao fim de meia hora já estão de boca aberta a ressonar com o jornal na última página... digam lá,não seremos todos assim?
Não seria mais fácil para mim e para vocês colocar uma imagem e dizer apenas Gostei ou Não Gostei? Por exemplo, deste Casa de Santar tinto reserva de 2005 gostei

Ricardo Soares