domingo, 19 de novembro de 2017

Wine Fest Porto 2017

Realizou-se ontem, dia 19 de novembro 2017, a segunda edição do Wine Fest Porto e no que diz respeito ao certame considero que houve uma alargada oferta e diversificada de produtores das várias regiões produtoras em Portugal.

Espero que a minha memória não me falhe mas posso frisar alguns destaques, embora subjetivos, e peço desculpa por não ter conseguido provar todos, apanhar o "pifo" não é muito a minha onda. 
Os vinhos da Quinta dos Abibes nunca me desiludiram; igualmente houveram destaques no Joaquim Arnaud; boa selecção da Quinta do Cardo pela mão de Luís Leocádio; excelentes e requintados vinhos da Casa de Saima; excelência na Quinta das Bageiras e Casa da Passarela; brutal e fantástica "acidez" no Esmero (grandes Douros nos brancos e tintos), Vale dos Ares, Santiago e Sem Igual; os Quinta da Rede relembraram as minhas primeiras provas no mundo dos vinhos;  as diversidades nos Portos com Blackett, Messias (também excelentes vinhos), Dalva e Vieira de Sousa; a continuação dos bons vinhos na Pessoa, Maçanita, Horácio Simões e Regueiro; e por fim os vinhos Do Joa para mim uma surpresa nomeadamente na construção do vinho com as suas 20 castas nos brancos e tintos.

Concluindo: houve estilos para todos os gostos mas com uma reflexa e excepcional qualidade "seleccionados" pelo Luís Gradíssimo.

O destaque foi também para a realização de três Provas Especiais: prova vertical dos vinhos referência da Casa da Passarella - Villa Oliveira conduzida pelo enólogo Paulo Nunes; "Os segredos de Joaquim Arnaud"; e por fim a prova "Horácio Simões - Uma história à volta do Moscatel Roxo". Não marquei presença contudo, e em conversa com os participantes, as mesmas foram bastante proveitosas e contribuíram para o acumular de experiências e conhecimentos.

Especiais agradecimentos
- Ao Luís Gradíssimo pela simpatia e excelente certame;
- Ao Mannel Serrano pela amizade, conselhos e partilha
- Ao Nelson do Táscuela pela amizade e companheirismo;
- Ao Sérgio do ContraRótulo pela amizade sincera, séria, frontal e bons "picanços"
- Ao Carlos Ramos dos Cegos por Provas pelo abraço
- Ao Pedro Lima por aquele abraço
- Aos "anónimos" que graças ao evento nos conhecemos, "amigamos" e me incentivaram e parabenizaram pelo blog Desarrolhar
- Aos produtores e enólogos (eles sabem quem são) pelas palavras e simpatia com que me falaram dos seus projectos

Ponto negativo: mais importante do que o vinho no copo é a mão que o estende. Não quero nem desejo ser tratado como um rei mas sou consumidor e pago para beber.
Apenas um comercial não fez jus ao "vinho" que representa, um vinho de gama alta que consumo com alguma regularidade. A orientação e melhoria no atendimento ao cliente é crucial para a sua fidelização. Ao passo que outros (não os invejo), de graça, são tratados com um rei...dá que pensar!

Ricardo Soares














Sem comentários:

Enviar um comentário