segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Filipa Pato FP Baga tinto 2015

Não sei se Filipa Pato usa maquilhagem no dia a dia. A última vez que a vi não usava. “Saiu ao pai”, dirão uns; "filho de peixe sabe nadar", dirão outros. Mas não quero entrar num registo biográfico nem de comparações porque não tenho tempo nem paciência e para tal existe o Google que certamente vos responderá a estas questões…

A filosofia de Filipa Pato, e como a própria se autointitula profissionalmente, é conceber vinhos autênticos e sem maquilhagem. A intervenção é mínima para cada parcela, viticultura manual, uvas vindimadas e selecionadas à mão, não faz qualquer tipo de correções de ácidos ou açúcar, etc. etc. etc.

E para comprovar a inexistência de maquilhagem (impressa no rótulo) desarrolhei o Filipa Pato FP Baga tinto 2015. Essencialmente constituído pela casta Baga (98%), os restantes 2% divididos por Bical e Maria Gomes, este é um vinho com uma personalidade forte e genuíno. No copo apresentou-se com uma cor granada púrpura escura, de aromas intensos a sobressair frutos silvestres, notas de café e fumo, e acidez equilibrada.
Mostra um bom potencial de envelhecimento.

Ricardo Soares

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

O meu companheiro dos Desarrolhares e Adega Viúva Gomes Colares branco 2013

Quase sempre tenho a preciosa ajuda do meu fiel companheiro para os Desarrolhares.
Este deve ser o poleiro favorito dele: Viúva Gomes colares branco 2013


Com a casta Malvasia de Colares e em conjunto com a sua envolvente marítima, este é um branco bastante mineral. Na boca é fresco e com notas salinas, e conserva uma acidez Atlântica.

Com 12% alc. e "apenas" 500 ml de néctar (Adega Viúva Gomes, pela vossa saúde aumentem a dose!) é um branco que se bebe bastante bem, guloso e que pode ser acompanhado com alguns pratos de peixe, marisco ou...sem nada. Apenas vinho e desfrutar.
Apesar de ser um vinho ainda novo pode-se beber já mas também beneficia com alguma guarda na cave.

Ricardo Soares

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Quinta das Bágeiras garrafeira branco 2004


Ainda a respeito do abastecimento da minha garrafeira, desta vez com brancos, optei também pelo Quinta das Bágeiras garrafeira branco 2004.
São vinhos tradicionais, mas extremamente complexos, personalizados e com raça, e ao mesmo tempo permitem a guarda em garrafa. Tal como este vinho onde nos anos excepcionais são feitos os "Garrafeira" e que exprimem o que de melhor se faz na Bairrada, com as castas tradicionais da região, a Bical e Maria Gomes.
Desde cedo que Mário Sérgio Alves Nuno percebeu a essência de um Bairrada, nos tintos e nos brancos, e quanto a mim só me resta calar e beber...

Ricardo Soares

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Poço do Lobo Arinto colheita 1995


Ando a precisar de abastecer a minha garrafeira com uns brancos, de preferência para beber nos próximos tempos porque vinhos de guarda já tenho que chegue.
Uma das escolhas foi este monocasta Arinto, Poço do Lobo da colheita de 1995, das Caves de São João. É sem dúvida um belíssimo vinho que, passado mais de duas décadas, teve tempo para evoluir em garrafa e deverá estar no seu pleno. A ver vamos... Quando o Desarrolhar darei noticias...

Ricardo Soares

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Mirabilis Grande Reserva branco 2015


Penso que não é novidade para ninguém: - A febre causada pelo "vírus" mirabilis grande reserva branco 2015 alastrou-se um pouco por todo o país, nos fóruns, comunicação social e crítica, blogues, chats, Wine bares, garrafeiras, boca a boca, eventos vínicos, etc etc etc

Eu fui um deles, ainda não estava no mercado e já tinha algumas reservadas...

É demais sabido que foi o primeiro vinho branco nacional a entrar para a distintiva lista dos melhores vinhos do mundo. Este vinho complexo e intenso - dizem "eles" - atingiu os 94-96 pontos pelo prestigiado crítico Robert Parker, ao lado de nomes como Domaine de la Romané Conti, Chapoutier Hermitage, Guigal, Pape Clement ou o famoso Champagne Krug.

Porque falo nisto só agora? Sei lá, apeteceu-me falar um pouco. Não sei a que é que o vinho sabe nem a que cheira. Estão lá para baixo a "hibernar".

Já desabafei um pouco...

Tenham uma Boa noite.

Abreijos

Ricardo Soares

Canto Báquico dos Goliardos


domingo, 12 de fevereiro de 2017

Frei João Bairrada tinto 1990

Já aconteceu tantas vezes encontrar um amigo de longa data ou alguém bastante mais velho do que eu e exclamar: "eh pá, a idade não passa por ti; continuas o mesmo; não mudaste nada pá..."
É daquelas afirmações que se podem adaptar perfeitamente a alguns vinhos, considerados velhos, mas que de idade só têm mesmo o tempo que passaram dentro da garrafa.


Este Frei João Bairrada 1990 é dos tais vinhos que envelhecem bem, vinhos que apesar da sua idade, neste caso os seus 27 anos, ainda se mantêm jovens. É um vinho que se mostrou pronto a beber e também com capacidade para "hibernar" mais algum tempo.

Apresentou-se no copo com uma tonalidade fantástica (uma das tonalidades que mais adoro nos vinhos): cor granada e notas tijoladas leves. Teve um início com alguma timidez mas depois "foi sempre a abrir"... Nariz com alguma intensidade, aromas frescos, notas florestais e do bosque (quase a lembrar cheiros outonais), muito balsâmico e fresco. Boca ainda cheia de vida, com corpo, quase mastigável e com grande profundidade.

Bebe-se com prazer e fica o reconhecimento da capacidade de guarda.
Se por um lado me congratulo por ter bebido este vinho por outro sinto alguma amargura por só ter mais uma garrafa destas guardada. Antes isso do que nenhuma!

Apetece perguntar: "continuas o mesmo, qual é o teu segredo pá?"

Ricardo Soares

Sílica Blanc de Noir super reserva bruto

Um bebedor entra hoje por mero acaso na Wine O'Clock, vê por lá Raul Riba D'Ave e saio de lá com esta verdadeira pérola. 🍷🍷


Para já vai para a garrafeira à espera de melhores dias.

Espero não me esquecer deste espumante...pelo menos fica aqui a nota (ou o lembrete). Tenho de ir a Angeiras comprar um peixinho e marisco para este belíssimo espumante.

Ricardo Soares

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Porta dos Cavaleiros tinto 1980 / Porta dos Cavaleiros branco 1979

A garrafeira tem destas coisas: os vinhos andam para ali meio esquecidos. Não piam nem ladram e um bebedor anda à nora.
Cheira-me que brevemente terei de as desarrolhar.
Creio que não é novidade para ninguém estes ilustres néctares: Porta dos Cavaleiros.

        

Fundada em 1920 pelos irmãos José, Manuel e Albano Costa, as Caves São João, aquela que é hoje a empresa familiar vinícola mais antiga ainda em atividade no concelho de Anadia, no final da década de 50 nasce uma das mais celebres marcas de vinho da região da Bairrada – o “Frei João” – e, um pouco mais tarde a marca “Porta dos Cavaleiros" da região demarcada do Dão.
Alguém dá sugestões para harmonização destes dois vinhos?

(Especial agradecimento ao Pedro Costa da Garrafeira do Jofre.)

Ricardo Soares

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

5ª edição - "simplesmente... Vinho"


Nos dias 24 e 25 de Fevereiro de 2017 (ambos os dias das 16h às 22h) vai realizar-se a quinta edição do "simplesmente... Vinho".

Com vinhos, petiscos, arte, música, vignerons, cozinheiros, artistas, músicos esta edição decorrerá no Cais Novo, por cima do Museu do Vinho do Porto.

O bilhete tem o custo de 15€ (venda exclusiva no local) com direito a copo e catálogo oficial, prova de vinhos e degustação de petiscos, exposição de arte e concertos de música ao vivo; terão também venda de senhas de € 3 e € 5 para trocar por petiscos nos seis restaurantes participantes.

Na Garrafeira irá disponibilizar vinhos, copos, t-shirts.

Concertos ao vivo: 
sexta 24 às 21h We Are Mean Chick
sábado 25 às 21h André Indiana

Local: Cais Novo, Rua de Monchique 120, Porto.

Para mais informações consultar na página oficial.

Contará com a presença dos seguintes Vignerons:

España
Rías Baixas: Antonio Portela - Viños do Solpor | Miguel Alfonso - Adega Pedralonga | Ribeira Sacra: Juan e Carlos Rodriguez, Freddi Torres - Silice Viticultores | Laura Lorenzo - Daterra Viticultores | Valdeorras: José Luis Aristegui - Bodega José Aristegui | Bierzo: César Márquez Pérez | Toro: Antony Terryn -Dominio del Bendito | Ribera del Duero: Alfredo Maestro - Bodegas Alfredo Maestro | Rioja: Roberto Oliván - Tentenublo Wines | La Mancha: Victor de la Serna - Finca Sandóval | Jumilla: Julia Casado - La del terreno | Madrid: Fernando Garcia - Bodega Marañones.

Minho
Fernando Paiva - Quinta da Palmirinha | Vasco Croft - Aphros | Pablo Ruibal - Edmun do Val | Miguel Queimado - Vale dos Ares | João Camizão - Sem Igual | Rui Pires - AB Valley Wines | Tony Smith - Quinta de Covela | Diogo Teixeira Coelho - Quinta da Raza | Joana Santiago - Quinta de Santiago | Artur Meleiro - Valados de Melgaço.

Trás-os-Montes
Amílcar Salgado - Quinta de Arcossó | Tiago Martins Ribeiro - Quinta Valle Madruga.

Douro
Rita Marques - Conceito | Álvaro e João Roseira - Quinta do Infantado | Joaquim Almeida - Quinta Vale de Pios | Tiago Sampaio - Olho no Pé | Pedro Garcias - Mapa | João Menéres - Quinta do Romeu | Luis Soares Duarte - Bago de Touriga | Jorge Coutinho - Alta Pontuação | Ana Hespanhol - Quinta do Zimbro | Pedro Lencart - Quinta dos Lagares | Joana Pinhão - Somnium | João Hoelzer - Quinta de Val da Figueira | Álvaro Martinho Lopes - Mafarrico | Stéphane Ferreira - Quinta do Pôpa | Luisa Borges - Vieira de Sousa | Martijn Boer - Colinas do Douro | Pedro Sequeira - Quinta do Isaac | Manuel Teixeira - Maritávora | Pedro Coelho - Pormenor Vinhos | Duarte Calém - Quinta do Sagrado | Filipa Pizarro - duplo PR .

Bairrada
Luís Pato - Luís Pato | Mário Sérgio Nuno - Quinta das Bágeiras | Dirk Niepoort - Quinta de Baixo | Filipa Pato - Filipa Pato | François Chasans - Quinta da Vacariça | Graça Miranda - Casa de Saima | Luís Patrão - Vadio | Francisco Batel Marques - Quinta dos Abibes.

Dão
Álvaro e Maria Castro - Quinta da Pellada | António Madeira - António Madeira | João Tavares de Pina - Terras de Tavares | Carlos Ruivo - Lagar de Darei | Sara & António Lopes Ribeiro - Casa de Mouraz | Diogo Santos - Olho Gordo | Nuno do Ó - Druida | Luís Oliveira - Quinta do Carvalhão Torto | Lúcia Freitas - Quinta da Mariposa | Isabel Pinheiro - Vinho Art.

Lisboa
Pedro Marques - Vale da Capucha | Rodrigo Filipe - Humus | Christopher Price - Vinhos Cortém.

Colares
Francisco Figueiredo - Adega Regional de Colares | José Baeta - Adega Viúva Gomes.

Tejo
Rui Neves - Alveirão | Teresa Barbosa - João M Barbosa Vinhos.

Península de Setúbal
Joaquim Arnaud - Joaquim Arnaud Vinhos.

Alentejo
Miguel Louro - Quinta do Mouro | Vitor Claro - Dominó | Jorge Rosa Santos - Explicit | António Antunes - Herdade do Arrepiado Velho | Fernanda Rodrigues Herdade dos Outeiros Altos | Luis Mota Veiga - Vicentino.

Algarve:
Guillaume Leroux - Monte da Casteleja.

Madeira e Açores
Filipe Santos - Primeira Paixão | Ricardo Diogo - Barbeito Madeira | António Maçanita - Azores Wine Company.

Diversas Regiões de Portugal
Luis Seabra - Cru | Márcio Lopes - Pequenos Rebentos, Proibido, Permitido | Hélder Cunha - Casca Wines.

Restaurantes e Sabores
Joana Vieira & André Antunes - Delicatum (Braga) | Filipe Miguel Morais - Forneria de S. Pedro e Carvão | Rui Paula - DOP | Cristovão de Oliveira e Sousa - Está-se Bem | Ricardo Teixeira Coelho - chef Coelho | Ruy Leão - Shiko | Quinta do Romeu - Azeite Extra-Virgem biológico.

Arte: Carlos Paiva (curador)
Galeria Cais Novo, exposição e venda de Obras dos seguintes Artistas:
Afonso Rocha, Ana Johnson, Ana Sequeira, António Alves da Costa, António Coxito, António Melo, António Mota Carneiro, Benedita Feijó, Bizarro, Carlos Henriques, Catarina Pinto Leite, Cláudio Babo, Cristina Pope, Cristina Valente, Cristina Viana, Diogo Muñoz, Eduardo Corte-Real, Ekofive, Élio Henriques, Emilia Sousa, Fatima Mateus, Feio, Filipe Cravo, Filipe da Palma, Filipe Larangeira, Francisca Tenrreiro, Francisco Vidal, Gliding Barnacles, Isabel Botelho, Isabel de Andrade, Isabel Pinheiro, JAS, Jesper Andersen, João Catarino, João Decq, João Fonte Santa, João Sena, KarlOwn, Lara Luís, Manuel Bernardes, Manuel Pina, Manuela Braga, Manuela Campos, Manuela Pimentel, Maria Eduarda Ferreira, Maria João Castro, Maria João Gabriel, Maria Manuela Matos Monteiro, Maria Sottomayor, Mariana Barrote, Mário André Luz, Marta Belo, Marta Nobre, Matilde Nicolau de Almeida, Miguel Figueira, Míguel Schreck, Miguel Coelho, Miguel Veríssimo, Mónica e Soraia, Nelson Themudo, Nuno Pinto Leite, Paula Mota, Paulo Abreu, Paulo Pereira, Paulo Ramunni, Renato Roque, Rosarinho Cruz, Rui Anahory, Rui Mendes Oliveira,Samuel Rama, Sandra Roda, Susana Oliveira, Sylvain & Tara Bongard, Teresa Cavalheiro, Teresa Guerra, Teresa Tavares,Tiago Afonso, Tiago Estrada, Tiago Fialho, Tim Madeira, Vincent Pousson, Zé Albergaria, Zé Miguel Costa.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Quinta do Poço do Lobo Bairrada tinto de 1991

26 ANOS...mas como o ano está agora a começar vamos contabilizar apenas: 25 ANOS. Um quarto de século...
Um vinho como este e com esta envergadura posso afirmar que "senta" muitos dos que andam por aí bem mais novos e a preços caríssimos. Até piam fininho. Mas não falemos deles porque este Poço do Lobo Bairrada tinto de 1991 merece o destaque.


Uma mistura de 3 castas: predominantemente Baga, Castelão e Moreto em menores quantidades.
Ao centro a cor é um vermelho granada desvanecendo-se gradualmente para mogno.
Mesmo com esta idade há ainda uma abundância de frutas no nariz, a bagas vermelhas e amora, uma série de notas florais e secundárias, notas de café e fumo, e dicas subtis de especiarias que lhe dá ainda mais complexidade.
No meio de toda esta complexidade de aromas mostra no palato, aliado a especiarias apimentadas, taninos presentes mas suaves e acidez boca-água.
O final é longo, seco e com uma dualidade doce/azedo.

Poucos chegam a velhos ditosos

Ricardo Soares